- Pubalgia do Atleta

PONTOS IMPORTANTES

A pubalgia do atleta está relacionada a microtraumas de repetição em atletas e gestantes. Entretanto, é importante reconhecer sua diferença para traumas agudos de maior energia, comumente associados a rotura / avulsão aguda da porção da aponeurose pré-púbica que corresponde à inserção do adutor longo, associada a diferentes graus de estiramento e rotura do adutor curto – grácil e do pectíneo.

Dessa forma, é importante:

  • Diferenciar os padrões de lesão presentes
  • Identificar destacamentos da aponeurose pré-púbica
  • Verificar a extensão e a localização do destacamento tenoperiosteal da aponeurose: centrais, laterais e inferolaterais, ou uma combinação destes. Os centrais podem ter extensão variável às porções laterais da junção tenoperiosteal.
    • O destacamento inferolateral é também chamado de sinal da fenda secundária. Trata-se de separação entre a porção inferolateral da aponeurose pré-púbica e o tubérculo púbico, resultando na desinserção das origens da inserção comum do adutor curto – grácil e de porção variável do adutor longo (o adutor longo tem origem comum com o adutor curto – grácil em 5 a 35% dos indivíduos, ou se insere em plano um pouco cranial ao adutor curto – grácil).
    • O destacamento lateral / superolateral é também chamado de sinal da fenda superior. Trata-se de separação entre a região lateral / superolateral da aponeurose pré-púbica e o tubérculo púbico, resultando na desinserção de porções variáveis do reto abdominal, do adutor longo e, se houver extensão mais lateral, também do pectíneo.
  • Diferenciar osteíte púbica e edema subentesial:
    • Osteíte púbica: edema ósseo em toda a extensão anteroposterior do corpo púbico. Indica instabilidade e sobrecarga mecânica. Maior associação com destacamento da aponeurose pré-púbica. Caso a apófise ainda esteja  “aberta” (ossificação ocorre entre 20 e 35 anos de idade), o edema ósseo pode estar associado a sinais de apofisite, tais como alargamento e irregularidades da apófise púbica, que se situa nas porções anteromediais dos corpos púbicos.
    • Edema subentesial: edema ósseo somente no aspecto anterior do corpo púbico (no tubérculo púbico). Pode estar relacionado a avulsão tendínea aguda.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

    1. EMBLOM, Benton A.; MATHIS, Taylor; AUNE, Kyle. Athletic Pubalgia Secondary to Rectus Abdominis–Adductor Longus Aponeurotic Plate Injury: Diagnosis, Management, and Operative Treatment of 100 Competitive Athletes. Orthopaedic Journal of Sports Medicine, v. 6, n. 9, p. 1–9, 2018. [Pubmed]
    2. KHAN, Waseem; ZOGA, Adam C.; MEYERS, William C. Magnetic resonance imaging of athletic pubalgia and the sports hernia: Current understanding and practice. Magnetic Resonance Imaging Clinics of North America, v. 21, n. 1, p. 97–110, 2013. [Pubmed]
    3. MULLENS, Frank E.; ZOGA, Adam C.; MORRISON, William B.; et al. Review of MRI Technique and imaging findings in athletic pubalgia and the “sports hernia”. European Journal of Radiology, v. 81, n. 12, p. 3780–3792, 2012. [Pubmed]
    4. NORTON-OLD, Kimberley J.; SCHACHE, Anthony G.; BARKER, Priscilla J.; et al. Anatomical and mechanical relationship between the proximal attachment of adductor longus and the distal rectus sheath. Clinical Anatomy, v. 26, n. 4, p. 522–530, 2013. [Pubmed]
    5. ROBINSON, Philip; SALEHI, Fateme; GRAINGER, Andrew; et al. Cadaveric and MRI study of the musculotendinous contributions to the capsule of the symphysis pubis. AJR. American journal of roentgenology, v. 188, n. 5, p. 440–445, 2007. [Pubmed]
    6. SAILLY, Matthieu; WHITELEY, Rod; READ, John W.; et al. Pubic apophysitis: A previously undescribed clinical entity of groin pain in athletes. British Journal of Sports Medicine, v. 49, n. 12, p. 828–834, 2015. [Pubmed]

COMO LAUDAR

Copiar
Copiar
Copiar
Copiar
Copiar
Copiar